Vídeo mostra faxineira fugindo de advogado após estupro | Notícias Brasil | Diário Online



Mais um crime de grande repercussão invadiu as redes sociais esta semana. Desta vez, uma faxineira foi vítima de estupro. O suspeito do crime é o advogado Jefferson Moura Costa, preso em flagrante no dia 14 de julho. As informações são do portal GP1.

Padre acusado de estupro é preso: “ele estragou minha vida”

Agora, imagens das câmeras de segurança foram compartilhadas nas redes sociais e mostram a vítima de estupro pulando da sacada do apartamento do advogado,  na Zona Leste de Teresina, para escapar do criminoso.

Os vídeos mostram que a faxineira chegou acompanhada do advogado no condomínio. Eles caminharam no estacionamento e entraram pela porta de acesso às escadas. Horas depois, ela aparece por diversas vezes na varanda do apartamento olhando para baixo. Na imagem seguinte, a vítima aparece correndo no hall do condomínio e fugindo.

A mulher passou por testes feitos no Serviço de Atendimento às Mulheres Vítimas de Violência Sexual (SAMVVIS) que comprovaram o crime.

Homem que vivia com adolescente de 13 anos é acusado de estupro

A vítima prestou depoimento a polícia e disse que o advogado ameaçou matá-la com um tiro de arma de fogo. Depois do estupro, ele teria sentado em um sofá e começado a ler um livro. Foi quando ela procurou uma forma de fugir.

A mulher fingiu estar fazendo a faxina na sacada, quando decidiu pular e pediu ajuda em um prédio próximo. Um morador acionou a polícia. No apartamento do advogado, ele foi flagrado com outra mulher, que  também era faxineira, quando os policiais militares chegaram. 

Além dela, o advogado também foi denunciado por outras quatro mulheres. Na última sexta-feira (16), ele foi transferido para a Penitenciária Irmão Guido após ter a prisão preventiva decretada.

Veja o vídeo:

Defesa se cala

A defesa de Jefferson Moura Costa disse que vai se manifestar apenas após a conclusão da investigação.

Jefferson Moura Costa faz parte da Comissão de Defesa dos Direitos do Consumidor da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), seccional Piauí, que decidiu suspender o registro dele. Depois do ocorrido, a entidade abriu um processo disciplinar, através do Tribunal de Ética e Disciplina, para investigar a conduta do suspeito.





Fonte da notícia

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*