Réu é condenado a 34 anos e 10 meses de prisão por ser mandante de morte de PM, em Marituba | Pará


O réu Allan Jones Damasceno foi condenado por ser o mandante do assassinato do policial militar Júlio Cardoso Vaz, ocorrido em 2016. Ele foi condenado a 34 anos e dez meses de prisão. O julgamento ocorreu na comarca de Marituba, região metropolitana de Belém. As informações são desta segunda-feira (3). Allan estava preso no Complexo Penitenciário de Santa Izabel, na Grande Belém, quando ordenou a execução.

O crime teve alguns agravantes que caracterizaram homicídio qualificado, pelo motivo de pagamento ou promessa de recompensa, traição ou emboscada ou outro meio que dificultou a defesa da vítima e ainda contra agente de segurança pública. Além disso, também pelo crime de corrupção de menores, crime tipificado no estatuto da criança e adolescente.

O policial militar Júlio Cardoso Vaz, de 38 ano, foi morto por ter uma suposta divergência pessoal contra uma amiga ou namorada do acusado.

Júlio foi abordado por dois suspeitos armados que chegaram atirando. O crime aconteceu dentro de um bar, quando a vítima foi atingida por vários disparos de arma de fogo. Segundo a Justiça, Alan contratou dois adolescentes, de 15 e 17 anos, que executaram o crime.

Allan Jhones Damasceno, de 22 anos, foi o mandante do assassinato. Allan estava preso no Complexo Penitenciário de Santa Izabel, na Grande Belém, quando ordenou a execução.



Fonte da notícia

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*