Lembra como foi? Baenão completa 1 ano de reabertura  – Diário Online


O dia era 13 de julho de 2019 e os azulinos viviam mais um dia histórico: o estádio Evandro Almeida, o Baenão, era reaberto depois de 5 anos sem jogos oficiais. Na reestreia,  Leão recebeu o Luverdense-MT, numa partida eletrizante que terminou em 2 a 2 pelo Brasileirão Série C. 

Emoção e reconhecimento: veja os bastidores da reabertura do Baenão

Com uma nova roupagem, o estádio centenário recebeu cerca de 13 mil torcedores. Entre eles, estava o militar Andrey Pablo, de 23 anos, azulino de carteirinha. 

“Foi um dia muito emocionante, pois meu primeiro jogo no Baenão foi em 2002 e fui com o meu pai quando eu tinha apenas 5 anos, mas lembro de tudo e estava muito mais muito lotado. Em entre 2003 e 2013 fui em mais de 50 jogos. E, entrar novamente no estádio e sentir aquela mesma atmosfera antiga de um jogo lá, é muito diferente de jogar no Mangueirão”, revelou Andrey. 

Torcida em festa Divulgação/ Ascom Clube do Remo

 

A reabertura do estádio foi marcada por diversas homenagens, desde a jogadores que fizeram história no clube – Thiaguinho, Marquinhos Belém, Adriano Paredão, Landu, Bira e Fábio Oliveira – a pessoas que contribuíram para o projeto denominado “Retorno do Rei” – torcedor João da Luz, de 63 anos, doou uma saca de cimento para as obras. 

Torcedor ícone João da Luz
Torcedor ícone João da Luz Divulgação/ Ascom Clube do Remo

 

Veja como foi a festa: 

O placar de 2 a 2 não foi dos melhores para o Remo, pois empatar dentro de casa, com apoio da torcida, e ainda por cima num dia de festa, não agradou muita gente. Mas, para os azulinos, nada poderia tirar o brilho daquele grande dia. 

MAIS UM ANO SEM REFLETORES

Mesmo com a reforma, o estádio Baenão continua sem refletores e impossibilitado de receber jogos à noite. Para a instalação, o Leão terá que desembolsar cerca de R$ 700 mil reais. Para tal, uma campanha chamada “Jogo da Luz” foi iniciada no final de 2019, para que o torcedor azulino ajude a reestabelecer o sistema de iluminação do seu estádio com a compra de antecipada de ingressos de uma partida de futebol do Remo, ainda indefinida por conta da pandemia do novo coronavírus. 

À princípio, o torcedor teria que comprar um voucher no valor de R$ 60 (primeiro lote) que daria acesso a um jogo do Campeonato Paraense, que seria definida pela diretoria em 2020, e toda a renda seria destinada às obras de iluminação do Baenão. Agora, um plano B está sendo estudado pela diretoria do clube.

“A torcida do clube do Remo faz tudo pelo clube, se fosse qualquer outro clube tenho certeza que não sairia da 4ª divisão. Então, espero que a diretoria consiga iluminar o nosso estádio, pois nosso maior reforço pra qualquer competição pode ter certeza que é o Baenão”, declarou Andrey, que disse ainda não abrir mão de ajudar seu clube do coração. 

Ex-jogadores Rafael Oliveira E Landu ao lado do mascote Leão Malino
Ex-jogadores Rafael Oliveira E Landu ao lado do mascote Leão Malino Divulgação/ Ascom Clube do Remo

 





Fonte da notícia

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*