Flamengo e Palmeiras vencem e avançam na Libertadores | Esporte Brasil | Diário Online



Flamengo:

O Flamengo está classificado para as quartas de final da Libertadores. Em um jogo que ficou marcado pela volta de seu torcedor ao estádio após 497 dias, o time rubro-negro bateu o Defensa y Justicia (ARG) por 4 a 1 nesta quarta-feira (21), no Mané Garrincha, em Brasília.

Embora o placar tenha sido folgado, o Flamengo passou por um momento de sufoco na partida. Depois de abrir o placar logo no começo da partida, com Rodrigo Caio, e pressionar o adversário, sofreu o empate em um erro de Diego Alves, com gol de Loaiza.

Mas graças a substituições cirúrgicas de Renato Gaúcho, o time rubro-negro deslanchou nos últimos 25 minutos rumo à classificação. Arrascaeta voltou a colocar o Flamengo à frente no placar, e Vitinho saiu do banco para marcar dois gols.

Com o resultado, o Flamengo fechou a sua série de mata-mata com o placar agregado de 5 a 1 e apagou a má lembrança de 2020, quando o time foi eliminado pelo Racing (ARG), também nas oitavas de final, em pleno Maracanã.

Com a vaga assegurada entre os oito melhores do continente, o time rubro-negro espera seu adversário, que será conhecido nesta quinta (22). Ele sairá do confronto entre Internacional e Olimpia (PAR). No jogo de ida, no Paraguai, houve empate por 0 a 0.

Palmeiras:

Finalistas do Campeonato Paulista 2021, Palmeiras e São Paulo voltarão a duelar em um mata-mata, desta vez pela Copa Libertadores. Nesta quarta-feira (21), o time alviverde superou a Universidad Católica (CHI) por 1 a 0 e avançou às quartas de final da competição.

Depois de ganhar o jogo de ida, no Chile, por 1 a 0, a equipe de Abel Ferreira repetiu o placar no Brasil. Coube a Marcos Rocha definir o marcador no Allianz Parque, onde a vantagem só não foi maior porque Deyverson acertou uma bola na trave e o goleiro Pérez fez várias boas defesas.

Na terça (20), o São Paulo havia superado o Racing (ARG) por 3 a 1 na Argentina, resultado que colocou a equipe dirigida por Hernán Crespo no caminho dos palmeirenses. Será o quarto encontro entre os rivais no mata-mata do principal torneio de clubes do continente. Até aqui, os são-paulinos ostentam ampla vantagem: venceram os três confrontos anteriores, todos pela fase de oitavas de final, em 1994, 2005, ano em que o São Paulo foi campeão, e 2006.

Considerando confrontos de mata-mata em todos as competições nas quais os clubes já se encontraram, o elenco do Morumbi também tem um retrospecto amplamente favorável. Foram 14 vitórias são-paulinas, incluindo a recente decisão do Estadual, e somente dois triunfos palmeirenses, o último deles em 2008, na semifinal do Paulista.

Se o passado não anima o Palmeiras, ao menos o momento atual dos dois clubes parece oferecer alguma vantagem ao time de ABel Ferreira. Atual campeão da Libertadores, a equipe alviverde também é líder do Campeonato Brasileiro e ostenta uma sequência de oito vitórias. Além disso, estabeleceu recentemente um novo recorde na competição continental, com 13 jogos invicto como visitante.

A boa fase reflete a consistência que o Palmeiras vem apresentando. Diante da Universidad, por exemplo, teve chance de construir um placar bem mais confortável. Ainda no primeiro tempo, Marcos Rocha balançou a rede, aos 36 minutos. Pouco antes, Deyverson havia acertado a trave. Na etapa final, apesar de insistir no ataque, o Palmeiras parou em boas defesas de Pérez, o melhor do time chileno em campo.

Enquanto isso, a Universidad tive dificuldade para furar a defesa alviverde. Quando teve chance de buscar finalizações, esbarrou em boas defesas de Weverton. O São Paulo, por vez, desde a conquista Paulista, que deu fim a um jejum de nove anos sem títulos, entrou em crise pelo péssimo início no Campeonato Brasileiro, no qual figura apenas na 15ª posição, próximo à zona de rebaixamento. A vitória sobre o Racing, contudo, aliviou a pressão no Morumbi.





Fonte da notícia

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*