CPI convoca Facebook e Twitter sobre posts de Bolsonaro | Política | Diário Online



As redes sociais tornaram-se ferramenta essencial durante o período de isolamento forçado pela pandemia de Covid-19. A facilidade de comunicação aumentou as possibilidades de trabalho remoto (home office), aulas on-line, além do comércio eletrônico em um período de imensas dificuldades econômicas.

Contudo, a difusão de discursos de ódio e de uma variedade quase infinita de desinformação são o outro lado da moeda das tecnologias de informação e comunicação.

Terra defende falas negacionistas na CPI

A CPI da Pandemia aprovou, nesta quarta-feira (23), a convocação de representantes do Facebook e do Google e quebras de sigilo de empresas de Carlos Wizard e de organizações sociais que administram estruturas de saúde no Rio de Janeiro.

No caso das empresas de tecnologia, os senadores querem investigar a divulgação de informações consideradas contra a ciência por essas plataformas. Também foram aprovados pedidos de informações a diversos ministérios.

Os senadores também aprovaram pedido de auditoria pelo Tribunal de Contas da União (TCU) das “motociatas” promovidas pelo presidente Jair Bolsonaro com apoiadores.





Fonte da notícia

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*