Conheça as brasileiras que sequenciaram o genoma do coronavírus – Diário Online



Pesquisadores brasileiros sequenciaram o genoma do coronavírus apenas dois dias após a confirmação do primeiro caso da doença no Brasil.

Os resultados foram produzidos por equipes do Instituto Adolfo Lutz, que confirmaram o diagnóstico de um paciente na última quarta-feira (26), e pelas universidades de São Paulo (USP) e Oxford, na Inglaterra. A média em outros países tem sido de 15 dias.

Com isso, é possível aprender sobre como o vírus se espalhou e até mesmo detectar mutações que podem aumentar ou atenuar sua transmissibilidade.

“Ao
sequenciá-lo, ficamos mais perto de saber a origem da epidemia. Sabemos que o
único caso confirmado no Brasil veio da Itália, contudo, os italianos ainda não
sabem a origem do surto, pois ainda não fizeram o sequenciamento de suas
amostras. Não têm ideia de quem é o paciente zero e não sabem se ele veio
diretamente da China ou passou por outro país antes”, disse à Agência Fapesp
Ester Sabino, diretora do Instituto de Medicina Tropical (IMT) da USP.

O sequenciamento do genoma do coronavírus foi conduzido por pesquisadores coordenados por Jaqueline Goes de Jesus, pós-doutoranda na Faculdade de Medicina da USP e bolsista da agência de fomento Fapesp. 





Fonte da notícia

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*