Call of Duty terá sistema para combater anti-cheats | Games | Diário Online



Quem nunca se estressou com trapaceiros em jogos de videogame? Geralmente eles estão presente nos games de tiros, como no Call of Duty. Para combater isso, a Activision disponibilizará um sistema Anti-Cheat chamado RICOCHET, que estará presente no COD Warzone e COD Vanguard.

“A iniciativa RICOCHET Anti-Cheat traz uma abordagem multifacetada de combate a trapaças, com ferramentas nos servidores que monitoram e analisam trapaças, processos aprimorados de investigação para acabar com os trapaceiros, atualizações de segurança e mais. Os recursos de segurança backend do RICOCHET Anti-Cheat serão lançados com Call of Duty: Vanguard, e mais tarde neste ano com a atualização Pacific em Call of Duty: Warzone”, disse em comunicado enviado para a imprensa.

Veja o resto do comunicado:

Além das melhorias no lado dos servidores que chegam com RICOCHET, um novo driver de nível kernel chega para PCs, desenvolvido internamente para a franquia Call of Duty e chegando primeiro para Call of Duty: Warzone. Esse driver assistirá na identificação de trapaceiros, reforçando e fortalecendo a segurança nos servidores como um todo. O driver será lançado com a atualização Pacific em Warzone ainda neste ano.

O driver de nível kernel apenas funcionará ao jogar no PC. Ele não fica sempre ativo, e sua inicialização e fechamento estão diretamente ligados ao uso de Call of Duty: Warzone. Além disso, o driver só é capaz de se monitorar e reportar informações diretamente associadas a Call of Duty.

Outra camada na luta contra os trapaceiros é o uso de machine learning (ML). Algorítimos de ML examinam os dados de gameplay no servidor e ajudam a identificar comportamentos suspeitos, e ajudam a compor o RICOCHET Anti-Cheat. O time do RICOCHET Anti-Cheat está totalmente dedicado a garantir um jogo justo combatendo os trapaceiros. Estamos dedicados em evoluir o Anti-Cheat RICOCHET com o passar do tempo, lutando pela comunidade contra aqueles que querem estragar o jogo.





Fonte da notícia

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*