Pesquisadores da Fadesp levam inscrição da Lei Aldir Blanc para lugares sem internet


Foto: Bruno Cecim

Parceria entre a Fadesp Ufpa e o Governo do Pará, por meio da Secult quer cadastrar mais de 5 mil pessoas na Lei Aldir Blanc. Para isso, na próxima semana, mais de 200 pesquisadores irão percorrer comunidades indígenas, quilombolas, ribeirinhas e extrativistas do Pará, em mais de 100 municípios.

Eles irão para realizar o cadastro de agentes culturais nessas localidades. O objetivo é fazer esta busca ativa em lugares onde ainda não há acesso à internet, para que essas trabalhadoras e trabalhadores possam acessar as 5 parcelas de 600 reais, previstas na Lei Aldir Blanc.

O auxílio emergencial é um direito da nossa gente, das guardiãs e dos guardiões dos saberes tradicionais que mantem nossa cultura viva. Entre os objetivos, democratizar o acesso e garantir a universalização do direito aos recursos da cultura. Mais informações em https://portalfadesp.org.br



Fonte da notícia

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*