MPPA ajuíza ação para garantir medidas de segurança pública em Igarapé-Miri | Pará


Segundo a Promotoria de Justiça, o baixo efetivo policial no município prejudica o enfrentamento da criminalidade, sendo que ações pontuais acontecem quando o policiamento é reforçado por agentes vindos de Belém e Abaetetuba. Com isso, muitas ocorrências não são atendidas ou devidamente investigadas por falta de embarcações para acessar as ilhas de Igarapé-Açu. Na ação a promotoria destacou também os problemas de segurança se estendem para os delitos no trânsito e nos crimes contra a mulher.

Assim, o MPPA requereu prazo de 20 dias para que a gestão municipal de Igarapé-Miri realize diagnóstico da situação em que se encontra a segurança pública, mais 60 dias para reativar o Conselho Municipal de Segurança Pública e elaborar um plano municipal para a área e disponibilizar embarcações tipo barco e voadeiras para os trabalhos da guarda municipal. Além disso, dentro de 180 dias, deve realizar concurso para os cargos de guarda municipal e agente de trânsito municipal, entre outras medidas.



Fonte da notícia

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*