Laudo pericial e depoimentos sobre atentado contra candidato de Parauapebas são divergentes, aponta Polícia Civil | Eleições 2020 no Pará


O crime aconteceu no dia 14 de outubro, na estrada da Vila Carimã, zona rural do município. De acordo com o delegado-geral Walter Resende, durante a investigação houve contradição nos depoimentos, o que atestou a necessidade da perícia criminal para que todas as dúvidas.

A análise dos peritos criminais apontou duas possibilidades para o caso. Em uma, o veículo poderia estar parado ao ser atingido, dentro dessa possibilidade, facilitaria a ação dos atiradores. Na outra, o carro em que estavam os ocupantes poderia estar em movimento, mas no máximo a 9 km/h e não em alta velocidade.

“A Polícia Civil, como órgão de segurança do Estado, tem como dever contribuir com a verdade a sociedade. Para que possamos partir para a finalização do inquérito, estamos comprovando cientificamente o que ocorreu. O fato aconteceu, mas é totalmente incompatível com os depoimentos relatados pelos ocupantes do veículo”, ressaltou o delegado.



Fonte da notícia

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*