Governo do PA e Vale afirmam que vão entregar Hospital Regional de Ourilândia do Norte em 2022 | Pará


O governo do Pará e a mineradora Vale devem entregar o Hospital Regional de Ourilândia do Norte, sul do Pará, em 2022. O anúncio foi feito durante visita do governador Helder Barbalho (MDB) no local da obra nesta quarta (30).

A unidade hospitalar deve ter capacidade para atendimento de casos de alta complexidade e unidades de terapia intensiva (UTIs), ofertando 120 leitos.

Na visita, Helder fez um discurso falando sobre o atendimento de saúde na região da rodovia PA-279. “Nós estamos juntos aqui para fazer com que o sonho dessa região volte a aflorar e a esperança de termos um hospital regional para atender toda a PA-279. Mas mais do que isso, este hospital estará compondo todo o sul e sudeste do estado com um equipamento fantástico para salvar a vida da população”.

O hospital deve beneficiar moradores de quinze municípios da região sudeste, onde vivem mais de meio milhão de pessoas. Outros dois hospitais regionais do sudeste estão localizados nos municípios de Redenção e de Marabá, distantes respectivamente a 259 quilômetros e quase 400 quilômetros de Ourilândia do Norte.

Além disso, o hospital deve contar com especialidades médicas como cirurgia geral, oncologia, traumatologia, obstetrícia de alto risco, oftalmologia, nefrologia, cardiologia, além de UTIs adulto, pediátrico e neonatal. O espaço físico está previsto para mais de 11mil metros quadrados de área construída pela Vale.

Segundo a Vale, a empresa será responsável por toda a obra de construção e ao Governo do Estado do Pará caberá a gestão, operação e manutenção do hospital por meio do Sistema Único de Saúde (SUS).

Ourilândia do Norte é sede da operação de ferro-níquel da Vale no Brasil, inaugurada há dez anos, em 2011. Desde a implantação, a Vale diz que tem feito ações de compensação como apoio à infraestrutura, geração de empregos, tributos e impostos ao município. Recentemente, segundo a empresa, foram entregues a obra de revitalização da pista de pouso e decolagem do aeroporto de Ourilândia e a Casa de Apoio ao Indígena Kayapó, em parceria com a Fundação Nacional do Índio (Funai) e a Prefeitura Municipal.

O projeto da Vale na região é a Mineradora Onça Puma, subsidiária da empresa, que explora ferro-níquel. Segundo o MPF, o empreendimento foi implantado sem estudos de impactos socioambientais aos indígenas Xikrin e aos Kayapó. Um acordo de novembro de 2020 prevê suspensão do processo judicial contra a companhia pelo prazo de um ano, além do pagamento de R$26 milhões em indenizações.

Na Assembleia Legislativa do Pará (Alepa), a Vale é alvo de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), que investiga as ações da empresa no estado. A CPI deve ouvir executivos da companhia.



Fonte da notícia

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*