Gerson Nogueira destaca a motivação remista para a decisão | Esporte Pará | Diário Online



Grande treino para a decisão

Foi uma noite de atuação segura e tranquila do Remo, com destaque acentuado para dois jogadores: Felipe Gedoz e Neto Pessoa. O centroavante marcou dois gols e o meia-armador foi fundamental para a movimentação do ataque azulino. Dos pés de Gedoz nasceram os lances mais inspirados do time enquanto ele esteve em campo. A vitória, folgada, deveu-se em boa parte ao desempenho de ambos.

O Remo começou o jogo acuando o Manaus em seu próprio campo, expediente que o técnico anterior, Felipe Conceição, nunca utilizou. Por cerca de 10 minutos, o Leão rondou a área amazonense levando perigo, embora sem acertar chutes a gol.

Somente depois dos 20 minutos, o Manaus conseguiu passar do meio-campo e chegar com algum perigo em chutes isolados de Daniel Costa. O Remo mantinha a posse de bola e ditava o ritmo, sem afobação.

Aos 33’, Neto Pessoa marcou o primeiro concluindo boa manobra de todo o ataque. Aos 41’, o camisa 9 chutou cruzado, de forma despretensiosa e a bola entrou no canto direito da trave de Gleibson, que se atrapalhou com o salto de Gedoz para tentar o cabeceio.

Ao contrário da primeira partida, quando o equilíbrio foi mais notório, desta vez o Remo não permitiu que o Manaus se tranquilizasse no jogo. Numa demonstração do que pode (e deve) fazer domingo diante do Confiança, o time não descuidou da vigilância pelos lados e da marcação forte no meio, bem executada por Lucas Siqueira.

Para o segundo tempo, Eduardo Baptista trocou Lucas Tocantins por Jefferson e Gedoz por Erick Flores. Aos 28’, Jefferson tabelou com Neto Pessoa na entrada área, driblou dois e chutou forte. Gleibson rebateu nos pés de Erick Flores, que só fez tocar para as redes.

LEIA MAIS TEXTOS DA COLUNA DE GERSON NOGUEIRA CLICANDO AQUI!

O Manaus, cansado, não teve forças para pressionar. Chegava esporadicamente em cruzamentos para a área. Numa delas, quase ao final, Daniel Costa mandou bola alta em direção ao gol, mas Vinícius saiu bem e socou para escanteio.

Uma curiosidade. Rafinha, ex-jogador de Eduardo Baptista no Mirassol, entra em todos os jogos possíveis, e vai mal sempre. Ontem, para variar, só conseguiu uma boa jogada. Fintou dois dentro da área e abriu espaço para a finalização, mas o chute saiu horroroso.

Além do arremate torto, o meia-atacante se lesionou no lance, sozinho. Foi substituído por Ronald, que imprimiu mais velocidade pelos lados e quase ajudou a ampliar o marcador.

As semifinais nortistas estão definidas para os dias 1º e 4 de dezembro entre Remo e PSC. Será a quinta vez que os arquirrivais se enfrentam na etapa decisiva da Copa Verde. O Leão levou a melhor em 2015 e o Papão eliminou o rival em 2014, 2016 e 2019.

Direto do blog campeão

“ORemo está neste sufoco porque deixou escapar pontos preciosos durante esta competição. Contra o próprio CRB, ganhávamos de 2 a 0 e deixamos empatar, igual ao jogo contra o Vasco. Contra o Náutico em Recife, 1 a 1 (com erro grave de arbitragem). Contra o horrível time do Brusque perdemos de 3 a 1 após sair ganhando. Enfim, espero sinceramente e vou ao estádio conferir que o Remo vença de 1/2 a zero, e fuja desta Z4, pois Terceira Divisão não é para time grande”. Stefani Henriques

“O Botafogo é gigantesco por ter caído e voltado à Série A sem precisar de esquemas. São conquistas que ficarão eternizadas na história do clube. Parabéns ao Glorioso de General Severiano”. Acácio F. B. Elleres

Jogo ruim, vitória do Flu e catimba de veterano

Fluminense e Inter fizeram um jogo ruim, mas de muita luta, ontem à noite, em busca de uma vaga na Libertadores. O gol que deu a vitória do Flu foi marcado por Fred, logo no começo, cobrando pênalti, especialidade de ex-jogadores em atividade como ele.

O resultado foi merecido pela intensidade com que o Tricolor se lançou ao jogo, mas o veterano Fred segue desafiando as regras e praticamente apitando as partidas. Quando o árbitro é fraco, aí a coisa complica de vez.

Mesmo depois de ser substituído, seguiu ao lado do campo perturbando o auxiliar e o quarto árbitro, botando pilha no árbitro. Todo esse esforço de malandragem deu certo no final, com a expulsão injusta de um jogador do Inter. A arbitragem brasileira segue devendo, e muito.

Pará larga bem nas Paralimpíadas Escolares

Estudantes paraenses conquistam 40 medalhas logo no primeiro dia das Paralimpíadas Escolares, que se realizam em São Paulo. Com a segunda maior delegação participante, o Pará garantiu 18 medalhas de ouro, 15 de prata e sete de bronze na maior competição mundial para jovens com deficiência em idade escolar.

As medalhas de ouro foram obtidas no atletismo, judô, arremesso de peso e natação. Algumas categorias acumularam dobradinha de paraenses no pódio com ouro, prata e bronze, enquanto outros paratletas conseguiram mais de uma medalha em categorias distintas.

O atletismo é a categoria com mais medalhas conquistadas até o momento. A delegação paraense é a segunda maior das Paralimpíadas Escolares. 

VEJA MAIS – Palmeiras desembarca em Montevidéu para final da Libertadores





Fonte da notícia

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*