Gal Costa apresenta show da nova turnê em Belém | Pará

0
4


Uma das maiores vozes do Brasil se apresenta em Belém, no dia 9 de dezembro, na Sede Campestre da Assembleia Paraense. Gal Costa comemora 56 anos de carreira no show “A pele do futuro”.

A turnê estreou em dezembro de 2018, com o lançamento do álbum homônimo, passando por cidades como São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, Recife, Belo Horizonte, entre outras. E segue agora com o show pelo restante do Brasil lançando o DVD “A Pele do Futuro” que saiu no segundo semestre de 2019.

No palco, a cantora apresenta músicas inéditas do novo trabalho, como “Palavras no Corpo” (Silva/Omar Salomão) e “Sublime”(Dani Black), e ainda outras escritas por Gilberto Gil, Djavan, Adriana Calcanhotto, Nando Reis, Jorge Mautner e Marilia Mendonça, entre outros nomes das mais variadas gerações.

Gal também mostra novas versões para seus maiores sucessos em 56 anos de carreira, como “Sua Estupidez” (Roberto e Erasmo Carlos), “Oração de Mãe Menininha” (Dorival Caymmi) e “Festa do Interior” (Moraes Moreira e Abel Silva).

Assim como aconteceu no respectivo álbum, a direção geral do espetáculo ficou sob os cuidados de Marcus Preto. A direção musical é de Pupillo, que recrutou uma banda de músicos jovens: Pupillo (bateria), Chicão (teclado), Pedro Sá (guitarra), Lucas Martins (baixo) e Hugo Hori (sax e flauta). O cenário é de Omar Salmoão, filho do poeta Waly Salomão (1943 – 2003), que dirigiu Gal no histórico show Fatal (1970).

Marcus Preto é também o responsável pela construção do roteiro do novo show de Gal Costa – em diálogo com a cantora. “Na hora de ir atrás das canções, eu falei que tinha que ter um bloco de músicas para dançar, e obviamente esse bloco tinha que ser no final, porque é a melhor hora para isso. Aí fiquei pensando em dividir esse roteiro em três partes”, conta ele.

Segundo Marcus, a apresentação precisava ter “um dedo na política também”. Surgiu, então, a ideia do primeiro bloco. “Teve espelho com o começo da carreira, com o tropicalismo, e imediatamente veio Mamãe Coragem, e London, London. Inclusive, tem uma parte inteira na letra que é diferente da versão que a gente aprendeu com o RPM, que tinha aprendido com Caetano, tem uma estrofe inteira ali que é da gravação dela. A gente manteve nessa versão nova”, diz.

“As Curvas da Estrada de Santos”, de Roberto e Erasmo Carlos, também foi ideia de Gal. “Porque ela tinha cantado lá atrás em algum show e nunca gravou. Fora que essa música também tem a ver com exílio. Roberto foi a Londres, mostrou essa música para Caetano, que teve uma crise de choro e, por causa disso, Roberto compôs Debaixo dos Caracóis dos Seus Cabelos para ele”, relembra Marcus.

Gal Costa apresenta o show “A pele do futuro”, dia 9 de dezembro, na Sede Campestre da Assembleia Paraense, na avenida Almirante Barroso, em Belém. Ingressos à venda: Lojas JEF (Boulevard e Grão), Óticas Diniz (Metrópole, Castanheira e Pátio), Posto Top Pariquis, Espaço Náutico Marine Club e no site/app Bilheteria Digital



Fonte da notícia

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here