Dois terços dos inscritos no Enem no PA não possuem acesso a computador em casa, aponta estudo | Pará


O Pará é o segundo estado do Brasil com maior percentual de inscritos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) que não possuem computador em casa. O levantamento foi feito pela organização Casa Fluminense, que estuda a vida urbana das periferias do Brasil. De acordo com o levantamento, 66,5% dos paraenses inscritos no exame não possuem o aparelho nas residências.

O estudo, divulgado no mês de agosto, analisou as condições de ensino no país durante a pandemia de Covid-19. Com a suspensão das aulas presenciais, muitas instituições migraram para as plataformas de ensino a distância. No entanto, segundo o levantamento, cerca de 2 milhões de candidatos ao Enem, cerca de 50% do número de inscritos, não possuem computador em casa para acessar às aulas. Segundo a pesquisa, a maioria desses estudantes estão em escolas públicas e vivem nos estados do norte e nordeste do Brasil.

Mais de 60% dos candidatos do Enem no Pará não tem computador

Outro problema em relação às aulas online está no pacote de dados de internet, que possibilita o acesso aos conteúdos. Muitas pessoas possuem um pacote de dados popular, que dá acesso apenas a aplicativos de mensagem. Por conta disso, o acesso à conteúdos e videoaulas se torna cada vez mais complicado.

“A cada semana eu faço uma recarga. Em casa, eu possuo computador, mas o meu pacote de internet não é o suficiente. Eu tenho acesso a uma banda larga comunitária, com muitas pessoas, e por conta disso o acesso é lento”, disse o vendedor ambulante Ernesto Torres, inscrito no Enem 2020.

Por conta da pandemia, o Ministério da Educação anunciou que a primeira prova do Enem será adiada de novembro de 2020 para o dia 17 de janeiro de 2021. A segunda avaliação deve ocorrer mo dia 24 de janeiro de 2021. Os candidatos do Enem Digital farão o exame no dia 31 de janeiro e 7 de fevereiro de 2021. A reaplicação do exame será no dia 24 de fevereiro e 25 de fevereiro.

Para tentar ajudar estudantes de baixa renda que não tem acesso aos conteúdos online, um grupo de professore criou um projeto gratuito de educação. O projeto Japiim, fornece conteúdos educacionais para estudantes cadastrados. Esses assuntos são distribuídos por um aplicativo de mensagens instantâneas.

“A gente quando pensou no projeto imaginou que muitas pessoas não teriam acesso às plataformas EaD. Por isso, pensamos em uma ferramenta que seria acessiva, que economiza dados e estão em planos populares”, explica um dos professores do projeto, Oton Luna.

Para participar basta fazer o cadastro no site do grupo do Japiim. O inscrito tem acesso a quatro grupos em um aplicativo de mensagens instantâneas que passam conteúdos de acordo com as áreas de conhecimento do Enem.





Fonte da notícia

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*